quarta-feira, 11 de março de 2009

O EGO [ I ]


"O ego é um fenômeno social - ele é a sociedade, não é você"
.
.
.
O ego tem uma certa qualidade: a de que ele está morto. Ele é de plástico. E é muito fácil obtê-lo, porque os outros o dão a você. Você não precisa procurar por ele; a busca não é necessária. Por isso, a menos que você se torne um buscador à procura do desconhecido, você ainda não terá se tornado um indivíduo. Você é simplesmente mais um na multidão. Você é apenas uma turba. Se você não tem um centro autêntico, como pode ser um indivíduo?
.
O ego não é individual. O ego é um fenômeno social - ele é a sociedade, não é você. Mas ele lhe dá um papel na sociedade, uma posição na sociedade. E se você ficar satisfeito com ele, você perderá toda a oportunidade de encontrar o eu. E por isso você é tão infeliz. Como você pode ser feliz com uma vida de plástico? Como você pode estar em êxtase ser bem-aventurado com uma vida falsa? E esse ego cria muitos tormentos. O ego é o inferno. Sempre que você estiver sofrendo, tente simplesmente observar e analisar, e você descobrirá que, em algum lugar, o ego é a causa do sofrimento. E o ego segue encontrando motivos para sofrer...
.
E assim as pessoas se tornam dependentes, umas das outras. É uma profunda escravidão. O ego tem que ser um escravo. Ele depende dos outros. E somente uma pessoa que não tenha ego é, pela primeira vez, um mestre; ele deixa de ser um escravo.
.
.
Trecho de Além das Fronteiras da Mente
.
.
.
.

6 comentários:

rogerio franco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Senhora disse...

Eu estava lendo e, sem querer, estava substituindo "ego" por "cartão de crédito" e... não é que dá certo! :)

Iêda disse...

Muito legal seu blog!
Passarei sempre por aqui.
beijo

lumenamena disse...

Entendo que "ego" é individual, quando fazemos algo por outrém, ajudando quem mais precisa, libertando nossa "alma" e dando o "coração". A meditação é a orientação para libertarmos o "ego", aí sim, deixamos de ser escravos, de nós próprios.

Carlos Bayma disse...

Muito boa a do cartão de crédito. Gosto de gente inteligente e que tem um jeito diferente de ver as coisas. Legal!

Silvânia Dutra disse...

O EGO nos faz sentir como estrangeiros, mesmo estando habitando em nossa própria casa.