sexta-feira, 26 de junho de 2009

CONDICIONAMENTO ATRAVÉS DOS MILÊNIOS

“Assim, o homem sempre exigiu uma mulher menor – eis por que as mulheres diminuíram sua estatura. Não há nenhuma razão para elas terem uma estatura menor do que a dos homens...”



O homem administra o dinheiro – esse é o seu poder. Em termos de músculos, ele é mais forte. Durante séculos, ele condicionou a mente da mulher quanto a ele ser mais poderoso e ela não ter poder. O homem sempre tentou achar uma mulher que, em todos os sentidos, fosse inferior a ele.

Um homem não quer se casar com uma mulher mais educada do que ele, porque o poder está em jogo. Ele não quer se casar com uma mulher que seja mais alta do que ele, porque uma mulher mais alta parece superior. Ele não quer se casar com uma que seja muito intelectualizada, porque nesse caso, ela questiona, e o questionamento pode destruir o poder. Um homem não quer uma mulher que seja muito famosa, pois então ele se torna secundário. E por séculos o homem exigiu uma mulher que fosse mais jovem do que ele. Por que a mulher não pode ser mais jovem que você? O que está errado? Mas uma mulher mais velha é mais experiente – e isso destrói o poder.

Assim, o homem sempre exigiu uma mulher menor – eis por que as mulheres diminuíram sua estatura. Não há nenhuma razão para elas terem uma estatura menor do que a dos homens; elas diminuíram sua estatura porque a mulher menor sempre era a escolhida. Aos poucos, isso penetrou-lhes à mente de uma maneira tão profunda, que aconteceu o que aconteceu. Perderam a inteligência, porque uma mulher inteligente não era necessária; uma mulher inteligente era uma extravagância. Você ficará surpreso ao saber que só neste século (no caso, século XX) a altura delas começou a aumentar.

Com a ideia de liberdade para as mulheres, destruiu-se um pouco desse condicionamento. Quando você não tem poder, você tem de ser mais diplomático – isso é um sucedâneo. O único modo de elas se sentirem poderosas era se tornando necessárias, que o homem necessitasse delas continuamente. Isso não é amor; isso é um negócio, e eles estão continuamente barganhando o preço. É uma luta constante.

Trecho do livro `Maturidade – a responsabilidade de ser você mesmo`