quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

VALOR INTRÍNSECO

Para destruir a crença dentro de uma criança, você tem que lhe provar que o valor não é algo dado pela natureza, mas sim que deve ser conquistado na vida. E você pode perdê-lo, a não ser que você trabalhe, seja muito ambicioso, lute com os outros... E para alcançar esse valor tem que lutar, olho por olho, dente por dente, tem que pisar na garganta do outro. Você foi condicionado a ser violento, ambicioso e cheio de desejos: para ter mais dinheiro, mais poder e mais prestígio.

Mas eu digo que vocês são intrinsecamente valiosos, que vocês nasceram como Budas. Vocês estão completamente inconscientes da realidade de seus próprios seres, mas vocês são deuses escondidos. A pergunta surge porque o que estou dizendo é totalmente diferente daquilo que lhes foi ensinado.

Você acreditou demasiadamente em seus pais, em seus professores, seus políticos e sacerdotes, e em tudo o que eles lhe disseram. E você guardou aquilo. É lixo, mas você tem carregado esse lixo por tanto tempo que abandoná-lo de repente parece ser impossível. Por tanto tempo você permaneceu agarrada àquilo, pensando que era belo, precioso e nutritivo.

Agora eu digo. ‘Tudo isto é tolice! Abandone isto e simplesmente seja um Buda, a partir deste exato momento! Não é uma questão de se alcançar, é apenas uma questão de se tornar consciente. É apenas uma questão de se tornar consciente, alerta e desperto. A questão não é alcançar.’

.

3 comentários:

Blog evidente.info: Edmilson disse...

Eu havia estudado com alguns mestres espirituais. Agora descobri o Osho e estou fascinado. Eu gostaria de tê-lo lido quando tinha 20 anos de idade, porém eu não estava pronto como agora.

Eu já tive um intenso vislumbre da iluminação, o qual durou aproximadamente um mês, quando li pela primeira vez o livro “O Poder do Agora” de autoria de Eckhart Tolle.

Agora, pretendo conhecer mais o conteúdo do Osho.

Um abraço fraterno!

Lumenamena disse...

Toda a vida humana possui um valor intrínseco sagrado, se aplicarmos àquilo que é bom em si mesmo e valioso por si próprio, ou seja, por tudo que é intrínsecamente independente dos desejos e necessidades individuais.

Um Abraço,
Lumena

Mariza Matheus disse...

Precisamos trabalhar nossa maneira de pensar. A maior fonte de sofrimente somos nós mesmos que causamos.

Abraço

Mariza